Dica Cultural

O Aviador aborda transtornos em um homem visionário

O Aviador aborda transtornos em um homem visionário

O Aviador narra a história de Howard Hughes, um homem que aos 18 anos herdou uma fortuna milionária do pai e era aficionado pela indústria cinematográfica e por aviação.  

Desde cedo, Howard Hughes (interpretado por Leonardo DiCaprio) foi um visionário, queria quebrar limites e chegar cada vez mais alto. Amante do cinema, ele dirigiu filmes de sucesso como Anjos do Inferno, de 1930, Scarface: A Vergonha de Uma Nação, de 1932, e O Proscrito, de 1943. Também ajudou a carreira de astros como Jean Harlow (interpretada no filme por Gwen Stefani).

No entanto, sua verdadeira paixão era a aviação.Ele construiu diversos aviões: caças, comerciais e até um gigante, que chamou de Hércules. Conseguiu até quebrar recordes de velocidade em aviões que ele mesmo projetou. Mas toda essa genialidade escondia um homem com transtornos. O filme consegue mostrar suas crises hipocondríacas e como Hughes sofria de Transtorno Obsessivo Compulsivo (TOC). Obcecado por limpeza, ele chega a lavar as mãos até que elas sangrassem. Uma cena marcante é um momento em que Hughes está no banheiro, lava as mãos com seu próprio sabonete, seca e fica esperando que alguém abra a porta para que ele possa sair sem tocar na maçaneta.

O filme é um recorte de 20 anos da vida de Hughes - conta sua história dos 20 aos 40 anos, o auge de sua carreira. Além de seus feitos, seus romances também aparecem na telona. Principalmente seu envolvimento com a estrela de Hollywood Katharine Hepburn (vivida por Cate Blanchet).

Conhecido por ser extremamente perfeccionista, o diretor Martin Scorsese cuida para que o filme mostre os detalhes da vida do aviador. Mesmo sendo bem longo, com quase três horas, o filme é envolvente e não se torna cansativo, afinal há muito história para ser contada. Ao longo de sua vida, Howard Hughes dirigiu e produziu longas-metragens, criou e pilotou aviões, brigou com uma das maiores empresas de aviação da época (que monopolizava vôos internacionais), entre outros feitos, tudo isso em meio as suas crises pessoais.

E todo o perfeccionismo de Scorsese ao dirigir O Aviador foi reconhecido pela crítica.O longa foi indicado em 11 categorias do Oscar, das quais ganhou cinco: Melhor Atriz Coadjuvante, Melhor Edição, Melhor Fotografia, Melhor Direção de Arte e Melhor Figurino. Apesar de uma atuação muito elogiada, não foi com este papel que Leonardo DiCaprio ganhou seu primeiro Oscar. O filme ainda foi indicado em seis categorias do Globo de Ouro, das quais ganhou três (Melhor Filme, Melhor Ator e Melhor Trilha Sonora), e em 14 categorias no BAFTA, das quais ganhou quatro, entre elas Melhor Filme. É, sem dúvidas, uma cinebiografia que precisa entrar na sua lista para ser visto.

O Aviador (The Aviator, 2005, EUA) de Martin Scorsese, com Leonardo DiCaprio, Cate Blanchett, John C. Reilly, Kate Beckinsale, Alec Baldwin, Danny Huston, Alan Alda, Ian Homl. 

 4164
(0 votos)