Imprimir esta página

Dica Cultural

A cura: uma história de amizade que supera preconceitos

A cura: uma história de amizade que supera preconceitos

Na semana em que comemoramos o Dia Mundial de Luta Contra a Aids, trazemos um filme que aborda a doença de uma maneira diferente.

A cura conta a história de Erik (vivido por Brad Renfro) e Dexter (Joseph Mazzello). Erik é um filho de pais separados, que não recebe muita atenção nem do pai e nem da mãe. Deixado de lado pelos próprios pais, ele acaba se tornando um jovem muito solitário, sem amigos, triste e entediado. Para completar, o menino ainda é alvo de chacotas na escola por ser vizinho de Dexter, de 11 anos, que é portador do vírus da Aids.

Na época, ainda persistia a ideia de que a Aids era uma doença exclusiva de homossexuais. O filme consegue desmistificar um pouco esse aspecto ao mostrar que Dexter contraiu o vírus através de uma transfusão de sangue.

Na escola, Erik era xingado e tentava se defender dizendo que nunca nem havia visto seu vizinho, o que era verdade. Se atualmente ainda há pessoas que, infelizmente, acham que é possível se contaminar através de um beijo ou um abraço, imagine como isso era pior na década de 90. Erik vai contra todos a sua volta e supera seus próprios preconceitos ao se aproximar de Dexter. Nasce então uma linda amizade entre os dois, que quebra barreiras e muda a vida dos garotos. Erik também fica muito ligado à mãe de Dexter, Linda (Annabella Sciorra), mais do que à sua própria mãe, que não aprovava sua amizade com Dexter.

Depois de lerem em uma revista que um médico de Nova Orleans afirmava ter encontrado a cura da Aids, os dois amigos resolvem partir em uma aventura para encontrar este homem. Reunindo coragem e muito companheirismo, eles viajam por terra e mar juntos atrás de esperança.

O filme trata principalmente sobre amizade, como ela é importante em momentos cruciais da nossa vida e como é menos doloroso enfrentar situações difíceis quando temos um amigo ao nosso lado. Erik faz de tudo para tentar ajudar Dexter. O longa consegue deixar claro que o preconceito sofrido por portadores do vírus da Aids, baseado em pura falta de informação, não faz o menor sentido.

A cura (The cure, 1995, EUA) dirigido por Peter Horton, com Brad Renfro, Joseph Mazzello, Bruce Davison, Annabella Sciorra, Diana Scarwid, Jeremy Howard.

 3881
(0 votos)