Notícias sobre saúde

Bronquiolite é coisa séria

Bronquiolite é coisa séria

Quando respiramos, o ar que entra pelo nariz desce pelas vias respiratórias até chegar à traquéia, dentro do tórax, se espalhando por dois tubos, conhecidos como brônquios.
Um leva o ar até o pulmão direito, outro ao esquerdo. No caminho, cada brônquio vai se ramificando em tubos de ar mais estreitos, que se acomodam no pulmão e aí são chamados de bronquíolos.
Em recém-nascidos, bebês e crianças esses bronquíolos estreitos são ainda bastante vulneráveis a infecção - a chamada bronquiolite, causada principalmente pelo vírus sincicial respiratório (VSR).
“Como a maioria das infecções respiratórias de origem viral, a bronquiolite é uma doença contagiosa, transmitida através de minúsculas gotículas provenientes do nariz e da boca de alguém infectado quando tosse ou espirra. A transmissão pode ocorrer ainda através da partilha de brinquedos e de brincadeiras entre crianças”, explica a pediatra Ana Lucia Acquesta, coordenadora da Neonatologia no Hospital Geral de Pirajussara, em Taboão da Serra, unidade gerenciada pela SPDM (Associação Paulista para o Desenvolvimento de Medicina).
Para a maioria das pessoas expostas à bronquiolite, os efeitos são quase nulos, menos desconfortáveis que um leve resfriado. Mas para crianças na faixa etária entre um mês de vida e dois anos de idade (com maior frequência em menores de seis meses) a infecção é um problema grave, e leva uma multidão de crianças aos pronto-socorros nos períodos de maior mudança de clima e em tempo seco.
“A bronquiolite costuma infectar crianças até os dois anos de idade. Cerca de 10% das crianças desenvolverão a infecção no primeiro ano de vida e, destas, cerca de 10% necessitarão de hospitalização em enfermaria ou em Unidades de Terapia Semi-Intensiva ou Intensiva”, conta Ana Lucia.

Sintomas

A bronquiolite é mais frequente nas estações mais frias do ano - outono e inverno. Como esse é também o período em que gripes, resfriados e outras infecções também aparecem mais, é indicado levar a criança ao médico com o surgimento dos seguintes sintomas:

- Febre alta e persistente.
- Nariz escorrendo.
- Tosse.
- Respiração rápida e superficial.
- Respiração com chiados.
- Contração da caixa torácica ao respirar.
- Alargamento das narinas ao respirar.
- Cansaço.
- Diminuição do apetite.
- Dificuldade em dormir.

 

Prevenção


“Apesar dos esforços nesse sentido, ainda não existe uma vacina eficaz e segura contra o vírus sincicial respiratório (VSR), o principal agente da bronquiolite”, explica a pediatra.
Como para a maioria das infecções, a melhor medida de prevenção é sempre lavar as mãos, principalmente se em contato com pessoas infectadas.
A imunoglobulina hiperimune contra o VSR, produzida por meio de técnicas de biologia molecular, é usada como medida preventiva em bebês prematuros portadores de displasia broncopulmonar e nas crianças portadoras de doenças cardíacas congênitas graves, mais vulneráveis à doença.

 

 3614
(4 votos)
   
   

logo IBROSS
  Filiada ao Instituto Brasileiro das
  Organizações Sociais de Saúde (IBROSS)

Contato | Newsletter

Rua Dr. Diogo de Faria, 1036 | Vila Clementino
Cep: 04037-003 | Telefone: (11) 5549-7032